A Plataforma Java não é sobre a Linguagem Java

[Novo endereço: leandrosilva.com.br.]

A Plataforma Java, mais notadamente a Enterprise Edition, vem experimentando, a cada ano, um crescimento sem precedentes na história da computação. Centenas de corporações investem milhões do dólares em servidores de aplicações, ambientes de execução para dispositivos móveis, ambientes integrados de desenvolvimento, frameworks e mais frameworks; enquanto um verdadeiro exército de programadores vai se formando e se tornando adeptos desta. O resultado destes investimentos são um sem número de aplicações distribuídas, web e mobiles que são desenvolvidas e disponibilizadas para milhões de usuários, ano após ano.

A Máquina Virtual Java (JVM), por sua vez, já é considerada a melhor e mais moderna máquina virtual da atualidade, provendora de um robusto ambiente de execução de aplicativos em dezenas de plataformas de hardware e software diferentes.

Tudo isto é fantástico. Mas não é tudo!

A Plataforma Java não é sobre a Linguagem Java. Ela não é exclusiva à Linguagem Java. Em uma analise fria e simplista, ela é apenas uma plataforma para execução de aplicativos distribuídos em bytecodes nativos da JVM.

É claro que numa analise mais detalhada ela seria mais do que isto. Mas em poucas palavras, é isto mesmo que ela é. A própria Sun_Microsystems já tem acreditado nisto e vendido esta idéia. Os maiores exemplos são a linguagem Groovy, que está sendo padronizada pela JSR 241, a versão Java do interpretador Ruby, o JRuby.

Quer saber? Taí um dos motivos de louvor da plataforma .NET da Microsoft. A plataforma .NET pode executar mais de vinte linguagens de programação diferentes, como se fossem uma só, porque também trabalha com o conceito de bytecode, os quais são executados sobre a CLR (Common Runtime Language). Ou seja, você não precisa ter uma única linguagem de programação para resolver todos os seus problemas computacionais; você pode escolher a melhor para o momento – eu falo sobre isso no meu post anterior. Isto sim é fantástico! E o melhor de tudo, é que a Plataforma Java também está caminhando nesta direção.

Já há algum tempinho é possível você escrever programas usando Groovy, JRuby, Jython, ou mesmo JavaScript, e executar na JVM. É a magia da JSR 223, Scripting for the Java Plataform. E não pense você que isto é fazer o gosto de meia dúzia de programadores. Isto é, na verdade, um novo leque de oportunidades para a própria Platadorma Java.

Este é o futuro do Java como plataforma de desenvolvimento, distribuição e execução de aplicativos de alta disponibilidade.

# O jeito Ruby:
puts 'Tchau!'
# O jeito Python:
def tchau():
    print "Tchau!"
// O jeito Java:
public class Goodbye {
    public static void main(String[] args) {
        System.out.println("Tchau!");
    }
}
// O jeito Groovy:
println "Tchau!"

2 Respostas para “A Plataforma Java não é sobre a Linguagem Java

  1. Pingback: Projeto Da Vinci Machine « CØdeZØne!

  2. Pingback: Groovy nos trilhos do desenvolvimento web ágil? « CØdeZØne!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s